Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Então como é ?!

Quinta-feira, 18.03.10

Á Lá Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1769 – 18 de Janeiro de 1985

Então, como é??

 

Frontalmente perguntamos à EDP:

-- Então como é?

- - Como é que, sem aviso – sem mais nem menos – se corta a luz da casa de alguém? Como?

É que se houvesse o cuidado, o mínimo de respeito que é devido a qualquer pessoa – só pelo simples facto de ser gente – (quanto ainda vitima potencial de organizações com processos de conduta tão arbitrários…) – muito atropelo se poderia evitar.

Se a pessoa visada fosse prevenida da sentença que a ameaça, ainda se poderia remediar a falta ou verificar o erro.

-- Mas, assim?

Francamente toca as raias do burlesco ou do humor negro! – Ou torna apenas evidente como pode ser descuidado um serviço público que se sabe impune a quantos desleixos, injustiças ou prepotentes abusos, queira exercer sobre os desprotegidos mas inexoráveis consumidores – dos bens que esse serviço controla!

Quem não sabia – tome nota! – Tome nota e acautele-se porque: - por engano, sem aviso, se corta o fornecimento de energia eléctrica a casa de qualquer cidadão, por muito cumpridor e bom pagador, que seja.

-- Então não há lei, ou preceito legal, ou pelo menos – moral - que impeça que estes cortes sejam feitos sem conhecimento dos utentes de tais serviços?

-- Então se para receber – seja o que for – dinheiro, encomendas, etc, etc… - é preciso – e, muito bem - que pessoa se identifique  - pode-se assim – sem mais, nem menos privar de um bem imprescindível (que tão caro se paga) – sem se verificar que não há erro de direcção?

-- Sem identificação?!!

-- Então como é?

A forma irregular como se procede à leitura dos contadores e á cobrança não excede já as mais arrojadas fantasias, sobre má gestão e desprezo pelo consumidor?

Pelo que se vê, faltava ainda instituir esta requintada pratica de cortar a luz casas só porque:

… “Deve ser mais ou menos por aqui que mora fulano ou beltrano?

-- E quem paga os alimentos estragados? – os incómodos, os vexames, os prejuízos matérias e morais?

-- Quem?

-- Será que nos dão alguma coisa de graça?

-- Então: - onde está a graça de nos privarem do que pagamos – sem critério e sem respeito e sem identificação?!!

 

Maria José Rijo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 16:52

As novas fábulas

Sexta-feira, 01.01.10

Á Lá Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1.762 – 30 N0vembro de 1984

As novas fábulas

 

Toda a gente sabia como o lobo falara ao cordeiro no dia em que, por sorte, por sorte de um azar do outro, se encontraram a beber no mesmo fio de água.

              

-- Dissera então o lobo ao inocente e assustadíssimo cordeiro: - não me turves a água!

-- Eu? – Balira o coitado, tremendo - como o poderia fazer, senhor lobo, se o riacho corre de vós para mim?

              

-- Atrevido! – Retorquiu soberano o poderoso lobo com possessa indignação. – Se não foste tu, foi por certo o teu pai, que é mais velho – e, com tal pretexto – “por razão” comeu o tenro anho…

 

Os lobos, os cordeiros, os corvos e as raposas e cegonhas das fabulas já não me ameaçam. Nem assustam ninguém.

Então por demais sabidas de cor, como as fabulas.

Agora, os poderes que nos ameaçam, não têm rosto. Ocultam-se por detrás de siglas.

E.D.P. – por exemplo.

Faz assim:

Foste fiador do fornecimento de energia eléctrica para casa dum amigo?

Certo.

O teu amigo morreu? – Tens o direito a pêsames.

Aqui ficam.

Não te passou pela cabeça participar a triste ocorrência à EDP?

Novo azar e má sorte para ti.

É que, agora, 5 anos depois de já não teres o teu Amigo, porque a pessoa que ocupou a casa que foi dele, não passou o contador para o seu próprio nome – cabe-te a ti – pagar 8 a 10 contos de luz que esse novo inquilino consumiu e ficou a dever.

Porque não te previnem logo que a situação de débito se criou no primeiro mês?

 

-- Pergunta ao lobo da fábula!

 O que não perguntarás – porque já sabes – e sobre ti pesa, é a ameaça de que: - ou pagas, ou no prazo de 10 dias quem fica às escuras és tu – tu, que até tens o jeito de ter as contas em dia!

-- Serias capaz de imaginar melhor actualização da velha fábula?

-- Serias?

Todos sabemos que não – nós, os que pagamos não temos imaginação para tanto!

Porem, o caso dá para pensar e… prevenir contra os ridículos desta louca burocracia (Só burocracia?) que se não fosse cruel como o lobo…

- Apenas faria rir.

 

Maria José Rijo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 20:41

Gato escondido

Segunda-feira, 02.03.09

Á Lá Minute

Jornal Linhas de Elvas

Nº 1726 – de – 16 de Março de 1984

  

Aparece as vezes nos ecrãs da nossa televisão, uma televisãozinha insinuante, patusca, como uma piscadela de olho que nos queira conquistar…

Faz-se pequenina, doce como a EDP quando nos brinda com o seu recital de conselhos e mezinhas…

… Barragem vazia… menos energia!...

… E porque não?:

Fica de barriga vazia – mas paga a energia?

-- Quem há por aí que não tenha já avaliado o “amor” que nos têm, quando depois de meses sem cobrança regular, - aparece o “saque” que dá o golpe de misericórdia no agonizante orçamento da maioria das famílias portuguesas?

-- Quem não sabe como são “eficientes” e em “conta” os seus serviços, muito principalmente se lhe calhar estar na cadeira do dentista ou ficar fechado num elevador, porque a luz que custa os olhos da cara, nos deixa perplexos no escuro, sem aviso, sem desculpa, sem respeito, quando lhe calha e sempre impunemente?

-- Quem não sabe que com a luz se paga taxa de rádio, ainda que o contador seja só da escada do prédio ou da garagem?

      

-- Para quê agora esta televisãozinha tão ingénua, coitadinha?!

Tão desamparada a pedir a nossa intimidade?

-- Quem não vê o “rabo de fora”?

-- Delegados concelhios? – e porque não delegados de bairro, de paroquia, ou de rua?

-- Porque não um prémio de “arreganhar a tacha” para quem denunciar o vizinho em falta, o amigo, os próprios país?

E tempo de parar com o culto da rasteira, da perfídia encapotada. Nós já pagamos tudo e de tal maneira que, qualquer dia, com a taxa da água virá a da televisão e então, será assim:

 

Quer ter água e luz em casa?

TV e Rádio – o que acha?

Não tem? Não pode comprar?

Deixe lá! Já paga a Taxa.

 

 

Maria José Rijo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria José Rijo às 20:52





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2020

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31


comentários recentes

  • Anónimo

    Cá estou eu ... meia hora depois da meia-noite...B...

  • Anónimo

    PARABÉNS PARABÉNS PARABÉNS Muitos beijinhos n...

  • Anónimo

    Minha querida TiaMuitos Parabéns pelos 94 anos - q...

  • Anónimo

    Boa AmigaSou o filho de Augusta Silva Torres que a...

  • Anónimo

    Eu sabia... sabia que era este mês que a tia fazia...


Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@






ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@


links

BLOGS DA CASA

EFEMERIDES

Aniversarios Blog

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2020

2019

2018

2017

2016

2014

2015

2013

2012

2011

2010

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Blogs- quem nos cita


Posts mais comentados


arquivos



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.