Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria José Rijo

Não sou princípio - Nem fim! -Sou um ponto no caminho- Daquela linha partida- Que vinha de Deus para mim!

Maria José Rijo

Não sou princípio - Nem fim! -Sou um ponto no caminho- Daquela linha partida- Que vinha de Deus para mim!

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

Um pouco de mim...

EFEMERIDES

Blogs- quem nos cita

Deambulo por

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Aniversarios Blog

Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@

Ano Novo 2018

Resultado de imagem para paisagem arvores despidas 

INVERNO

Árvores

Imóveis

Fiéis ás raízes

ao longo dos percursos

enfileiradas

expostas

indefesas

nuas

arrepiadas

descompostas

cativas mas vivas

Na confiante espera da

ressurreição em cada Primavera.

 

Maria José Rijo 

.......

Imagem relacionada

SE O AMOR

Não for o motivo e a razão

Viver

só pode ser

estar cativo

da promessa certa de morrer

para ser livre !!

 

Maria José Rijo

---

Para a minha querida Família de Sobrinhos e Amigos

Desejos de um Feliz Ano Novo

um poeminha para pagar a minha divida ao GUS

e o outro é para todos vós.

Um abraço

 

Maria José Rijo

Parabéns

EU ?

Maria josé Rijo.jpg

 

Não vivo para mim

Mas sei viver comigo

consigo até suportar

o mal estar

de quando me interpelo

e contradigo

de quando vejo

um caminho

que não sendo meu

não sigo

e em contra mão prossigo

afrontando a solidão

e o risco de querer afirmar

apenas isto

EU ?

 

Maria José Rijo

16-5-2017

Eu não tinha dúvidas que a data lhe diria

que era consigo!

Parabéns - Beijinhos e

Obrigado pelo estímulo.

Tia Zé

e Paula

 

Em dia de Anos

Para o GUS com muitos Parabéns

este apontamento

que encontrei em papeis velhos

Tia Zé

 

67760_Papel-de-Parede-Trigo-de-Verao_1920x1200.jpg 

Desejo - 

Amor -

Acaso -

quem sabe a este mundo

porque veio

e que destino trás.

Qual é a verdade

ou a mentira -

Tanto faz

nem vem ao caso

a vida é sempre

tempo a prazo

a devolver

quando se vence

ao infinito eterno,

a que pertence.

 

Maria José Rijo

18-5-2016

RETRATO

.

alentejo-outono.jpeg

 

Meus passos na terra

Meu olhar nos longes

Minha alma dispersa

nas voltas do caminho...

Meu coração vindo à tona

das saudades que o afogam...

Meus pensamentos convulsos

em erupções sem controlo

Assim  me vejo 

sem querer ser

num tempo que não comando

a que chamo:

Minha Vida

 

4 - Janeiro - 2016

Muito queridos Amigos

,manda-me o coração que vos venha pelo menos dar um forte abraço

para vos contar como vos desejo todo o bem do mundo neste 2015 e como a vossa existência me acompanha e conforta.

Também eu como a minha querida Amiga Maria Augusta confesso a mágoa de não conviver convosco...

E,Deus sabe, com que mágoa...Vou tentar vir por aqui mais vezes.

Por desleixo ainda não substitui este computador que está uma lástima!

Já recorri à Paulinha para fazer o milagre, o que quer dizer que não tardam pelo menos melhores condições

Vejamos se a coragem acompanha!Um beijo grande para todos e,

uma coisinha que achei num papel já amarelo...

.

Nunca esquecerei

o perfume do Amor

que sem perceber

eu conhecia

- era pó de arroz - "TOKALON"

no rosto de minha Mãe

que me sorria

enquanto me beijava

e me ohava

como só Ela sentia...

.

Um abraço

Maria José

Desabafo...

 .

Foto -- 6 -Abril - 2014 - no dia dos meus 88 anos

.

 

 A minha alma é a toca

onde lambo as minhas crias

e me encontro a sós comigo

É no segredo de mim que me escuto,

 me procuro

me surpreendo,

 me encontro,

 me enterneço ou me odeio

me renego ou reconheço,

 me deslumbro

ou me atormento

Pois só Deus sabe a que custo,

eu me confronto comigo

ou se a lucidez que me guia

é um bem , ou um castigo…

 

 

Meus queridos Amigos e sobrinhos de coração – não é que tenha viajado ou vivido qualquer coisa de tão interessante que me ocupasse o espírito ao ponto de -  parecer – ter-vos esquecido.

Não, nada disso. O meu dia a dia tem corrido num marasmo sem luz ao fundo do túnel , e , como sempre as grandes alegrias ou as grandes tristezas ou, mais do que tudo as grandes injustiças, fazem-me sair do meu confortável silencio .

Assim foi agora.

 

Eu conto :

 

Talvez , eu, tenha falado com o Dr. Mocinha duas ou três vezes, não mais, mas tenho seguido atentamente este estranho mandato onde, desde a primeira hora se via que só (por algum resquício de pudor) do mandante. não figurou nas listas para a presidência da Câmara  outro nome em primeiro lugar, que não o do dr. Mocinha, que, via-se,que era para queimar.

 

O jornal Linhas de Elvas registou  em entrevista a “promessa” do autarca cessante ( não recordo ipsis verbis o palavrado, mas o jornal tem esse registo ) da ameaça, não muito encapotada, que Rondão faz de “correr”

com quem não se ajoelhasse, como premeditara para concretizar o seu astuto desígnio de guindar D. Elsa,

ao “estrelato”

 

A falta de ética, o despudor, a arrogância, com que o dr. Mocinha tem sido humilhado por aqueles dois elementos da autarquia – é notória e publica,  a reacção era esperada.

Assim, se os elvenses estiverem atentos e controlarem  o medo de represálias  que confessam  abertamente , Elvas poderá finalmente ter um Presidente de quem se pode orgulhar.

E, não me venham com a divida dos elvenses, ao par em questão.

Têm trabalhado.

Tem obra feita. Essa fora! – estão lá há vinte anos e, têm tido bons apoios de dinheiros comunitários.

Rondão tem carisma de líder – ninguém o nega.

Mas, ambos, como é lógico, têm sido compensados

Se Elvas muito lhes deve, quanto mais não devem eles a Elvas ?

Chegaram com um certo ar de ambulantes, apagados, discretos…

Foram bem recebidos. A cidade deu a dona Elsa, com todas as alcavalas, cursos e sonhos…e a Rondão talvez pelo número de placas com o seu nome a dignidade de comendador.

As comendas tem às vezes destinos singulares…

Feitas as contas, devem a Elvas mais do que deram como está à vista e devem aos elvenses o respeito e a consideração de não se arvorarem nem em donos, nem em patrões duma gente que é generosa, tolerante, mas honrada e nobremente livre.

Alias, se Rondão for viver no doce remanso da sua quinta,

Elvas não sai do mapa, ou sai?

Perdoem-me o desabafo mas sabe bem ter amigos que nos entendam

 

Um abraço

 

Maria José Rijo

Dá sempre errado

.

Escondo-me por detrás de mim

mas não resisto:

 

Espreito-me!

 

 

Observo-me a mim mesma

qual fantasma que se mima

e que a si próprio se plasma

 

Eu o espio – ele me espia

eu o avalio – ele me avalia

 

 

Confrontamo-nos

Balança-nos a destrinça

de quem é quem

Sabendo que somos um

no mal e no bem

 

Olhamo-nos olhos nos olhos

entre o riso e o pranto

funde-nos um abraço

é o reencontro!

 

Refeita a soma

tentamos a conclusão justa

O resultado

Mas somar anjos e demónios

Não bate certo

dá sempre errado!

 

 

Maria José Rijo

18 Julho 2013

Mensagem

.
 

Olho, vejo, sinto
mas não falo - calo!
calo como se tudo me fora indiferente
ninguém sabe porque o faço
sequer eu
que sei quem trago comigo
por quem rezo
quem no coração abrigo
a quem no mistério de mim
abraço e segredo: - Amigo!
Eu, até acredito
que amizade, amor,
os grandes sentimentos
são para viver
não para dizer.
Quem saberia contar um beijo!
o beijo acontece
se o gera o amor, a ternura, a piedade, o desejo...
nele cabe todo o sentimento
como no silêncio
cabe a vida, a esperança, o vazio, a morte
O silêncio é o mundo inteiro
quieto, olhando o alto
O silêncio pode ser pleno
quando nele se recolhe
o que se semeou
na alma se guarda
no coração se colhe
e dá sem explicação
como se dá um beijo!

.

22-Maio - 2013

 

Maria Jose Rijo

 

 
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

Um pouco de mim...

EFEMERIDES

Blogs- quem nos cita

Deambulo por

Culinaria

K I K A

Paginas de Diário

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Cá estou ...

Mais alguns...

Alguns...

Alentejo

Eurico Gama

Artigos sobre...

Escola Musica / Coral

Elvas Cidade...

Escritores e...

A Familia

Sebastião da GAma

Minhas sobrinhas Bisnetas

Meus sobrinhos Netos

Meus sobrinhos

Diversos...

Páscoa

São Mateus

Cartas especiais

noticias em Jornais

Dia da Criança

Cartas do Brasil- 1996

AÇORES

Juromenha

Col. de Gastronomia

O Natal

Exp. MuseuTomaz Pires-1984

Exposição PERCURSO-2008

HistóriasCmezinhasEreceitas

Revista Sénior

JOSÉ RIJO

Hospital e Maternidade

Livro de Reminiscências

Livros- de HistóriasInfantis

  • A história da Cotovia
  • A história de uma Flor
  • A historia do Castelo
  • AlendaMisterioso vale florido
  • O sonho da Joca
  • A menina de Trapo
  • A avó conta 1 historia
  • Conto - Margarida - 1
  • Conto-Margaridavaicontente
  • ... então sonhei!
  • O Cavalinho encantado
  • A princesa Jasmim
  • Aurinha está doente
  • Arnaldo o terrivel
  • A Cabrinha
  • Era uma vez ...
  • O pequeno castanheiro

Dias festivos

Programa de Poesia (radio)

Crónicas na Revista

Livro de Poemas - I

Livro de Poemas - II

Livro de Poemas - III

Livro de Poemas - IV

Aniversários Linhas

Livro Rezas e Benzeduras

Livro das Flores

LivroJoaoCarpinteiro

A Visita - Despertador

Programas se SãoMateus

Entrevistas

Entrevista - TV-Videos,etc

Visitantes no Blog

Aniversarios Blog

Pensamentos de Mª José

@@@@@@@@@@@@@@@@@

@@@@ O caminho acaba ali... Ali onde começa a descoberta, O caminho é sempre estrada feita O fim do caminho É uma porta aberta... Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Quando o homem se render à força que o amor tem e a arma for oração pulsará na vida a paz como bate um coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Ser semente do futuro, é a mensagem de esperança, Que como um recado antigo, A vida nos dá a herança.- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Eu penso, que é saudável e honesto reconhecer e respeitar as diferenças que nos individualizam no campo, também dosi deais.----- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@ Há uma tal comunhão entre a obra e o autor Que até Deus concebe o Homem e o Homem - o Criador! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ UMA IDEIA : É uma LUZ que se acende i nesperadamente no nossos espirito iluminando um caminho novo. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Sei para onde vou- pela ansia de galgar a distância- de onde estou- para o que não sou. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ A solidão é o que preenche o vazio de todas as ausências. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Quando na vida se perde, Um amigo ou um parente, P’ra que serve a Primavera? Se o frio está dentro da gente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Mesmo sobre a saudade, a doçura do Natal, embala cada coração como uma música de esperança. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Em passadas de gigante nobre de traça e idade vem da nascente p'ras fontes dar de beber à cidade. -- Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Nas flores como nas pessoas, ás vezes a aparente fragilidade também pode esconder astúcias e artificiosos bluffes ”. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ A cada um seu direito, A cada terra seu uso, A cada boca um quinhão, A cada roca seu fuso, Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Seja cada dia um fruto- Cada fruto uma semente- Cada semente o produto- Dos passos dados em frente. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Coisas e loisas esparsas- Como a ferrugem – se pica- Como a lama dos caminhos- Se pisada… nos salpica. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Todos os dias amanhecem Crianças Pássaros Flores ! Sobre a noite das crianças Pássaros Flores que já não amanhecem Amanhecerá! Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@ Ao longe vejo Olivença Mais perto, Vila Real A meus pés o Guadiana Correndo manso – na crença De que tudo é Portugal Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Pátria sagrada de povo, Que emigrada- ganha pão, estás repartida- mas viva Se te bate o coração. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Portugal mais se define Onde a fronteira se traça Pode partir, mas não dobra Quem defende Pátria e Raça Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@ Bom seria se os recados do nosso coração chegassem ao ouvido de quem os motiva, porque então saberíamos como somos queridos e lembrados sem necessidade de telefones ou cartas. As comunicações seriam de coração para coração como a música de alma que se soltasse de um poema. Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@@@@

ARTIGOS PUBLICADOS Em :

Jornal Linhas de Elvas - Desde 1950 @ @@@@@@@@@@@ Jornal da Beira - (Guarda) @@@@@@@@@@@ Jornal da Ilha Terceira (Açores) @@@@@@@@@@@ Jornal O Dia @@@@@@@@@@@ Jornal O Despertador @@@@@@@@@@@ Revista Norte Alentejo @@@@@@@@@@@

LIVROS PUBLICADOS:

-E vim cantar- 1955@ -Paisagem- 1956@ -Rezas e Benzeduras- 2000@ @@@@@@@@@@@